Núcleo de internacionalização do Centro Universitário está disponibilizando 24 vagas para cursos presenciais e EaD.

 

 

O Centro Universitário Avantis – UniAvan, de Balneário Camboriú, lançou nesta semana a segunda edição do Programa de Acesso à Educação Técnica e Superior para Refugiados e Imigrantes em situação de vulnerabilidade. São 24 vagas integrais para a graduação nos seguintes cursos: Administração (presencial e EaD), Biomedicina (EaD), Ciências Contábeis (presencial e EaD), Educação Física Bacharelado, Pedagogia (EaD), Psicologia (presencial), Sistemas de Informação (presencial), Tecnologia em Gastronomia (presencial), Tecnologia em Recursos Humanos (EaD), Tecnologia em Gestão Financeira (EaD), Tecnologia em Logística (EaD), Tecnologia em Marketing (EaD) e Tecnologia em Comércio Exterior (EaD).

A reitora da UniAvan, Dra. h.c. Isabel Regina Depiné Poffo, afirma que esse programa visa evidenciar as vantagens em promover o intercâmbio entre culturas e ressalta mais uma vez o valor que a instituição dá à diversidade. “Nos orgulhamos dos valores que repassamos aos nossos alunos e o nosso compromisso é promover a inclusão social por meio de ações e programas que coloquem em discussão a cidadania e a valorização humana, dentro das limitações e diferenças que possam existir”, afirma.

Ela ainda destaca que a ação deve ser repetida a cada ano, o que demonstra o quanto a UniAvan está comprometida com a defesa dos direitos humanos dos imigrantes e refugiados, sobretudo com a igualdade em tratamento e oportunidades. “A imigração e refúgio representam para a nossa região um fenômeno social de significativo impacto humano e potencial agravamento das condições de vulnerabilidade humana, nada mais justo que contribuirmos por meio da educação e criação de oportunidades”, complementa Isabel.

Como conseguir a bolsa de estudos:

Para concorrer a uma das bolsas os imigrantes/refugiados devem protocolar pessoalmente sua inscrição na Secretaria Acadêmica (piso térreo do Bloco I) até o dia 12 de julho, das 9h às 21h. O Programa admite imigrantes ou refugiados que tenham concluído o ensino médio ou equivalente no país de envio ou em outro país onde residiram, com exceção do Brasil. Presume-se imigrante em situação de vulnerabilidade aquele portador de visto humanitário ou permanente por razões humanitárias, emitido pelo Conselho Nacional de Imigração.

O processo seletivo será realizado por meio de uma prova com 10 questões objetivas e uma discursiva de conhecimentos gerais. Em caso de empate de notas para as vagas disponíveis, o Núcleo de Internacionalização irá fazer um entrevista com os candidatos.

 

Documentos necessários:

– Documentação comprobatória da condição de refugiado, expedida pelo CONARE, para o solicitante em estado de refugiado;

– Protocolo de solicitação de refúgio expedido pela Polícia Federal, acompanhado da comprovação de vulnerabilidade;

– Cédula de identidade de estrangeiro com residência provisória ou permanente expedida pela Polícia Federal ou documento equivalente, como Cadastro de Pessoas Física (CPF), Carteira de Trabalho (CTPS) ou Passaporte, para o imigrante fora da categoria de refugiado;

– Comprovação de estudos equivalentes para o ingresso no Ensino Superior ou Técnico.